top of page
Look_ThiagoStrozak_Pose3 (1).png

COLEÇÃO ANGELITOS NEGROS

Look_ThiagoStrozak_Pose3 (1).png
Look_ThiagoStrozak_Pose3 (1).png
  • Behance
  • LinkedIn
  • Instagram

Angelitos Negros

por Juliana Tavares

Quando minha avó era criança ela sempre sonhou em ser um anjo na peça da igreja. Frequentava todas as missas, ia em todas as atividades somente para buscar a aprovação e, que quem sabe no
final do ano poder usar as asas e auréola de anjo.
E mesmo assim, ano após ano ela perdia a chance.
Ano após ano ela fazia tudo de novo.
Ia nas missas, ia à catequese, ia nas atividades…
Ano após ano...
Então, um dia, juntando toda a frustração da rejeição, juntando toda
a sua coragem, ela enfim perguntou.
Por quê? Por que ela não podia ser um anjo?
Simples, você já viu anjo preto?

Então eu cresci com a história da minha avó, uma senhora contando para neta uma dor de sua infância, e a partir disso encontrei mais e mais anjos brancos. Mais e mais histórias de pessoas pretas com sua suavidade recusadas pela fé.

“Por que tudo é branco? [...] E tudo que é ruim é preto?” disse Muhammad Ali em entrevista em 1971.

Por quê?

Angelitos Negros busca externalizar a suavidade, a divindade e a beleza pertencente às pessoas pretas, as quais são de diversos modos negadas e recusadas, ao mesmo tempo que vem falar da força e dureza que deve se construir para passar por isso em uma sociedade com normas brancas.

Eu sou meu próprio Anjo negro

Obrigado pelo envio!
bottom of page